O que você realmente sabe sobre o câncer de próstata?

Na luta contra a doença, combater a desinformação é primordial  

Conforme dados do Instituto Nacional do Câncer (Inca), estimam-se mais de 65 mil novos casos de câncer de próstata em 2020 e aproximadamente 15 mil mortes por ano em decorrência da doença no Brasil, que é o segundo tipo de câncer mais comum entre os homens, ficando atrás apenas do câncer de pele.

Por tabu ou desconhecimento, boa parte da população masculina não tem o hábito de realizar consultas médicas e exames periódicos para avaliar uma saúde, é essencial para o diagnóstico precoce do câncer de próstata e aumentar como chances de cura.

Para desmistificar alguns temas ligados à doença, que tal um jogo de mitos e verdades?

Se eu não sinto sintomas, não tenho câncer de próstata.

Mito! O câncer de próstata é um dos mais assintomáticos, ou seja, muitos homens desenvolvem a doença sem apresentar sintomas. Quando apresentam, os sintomas podem ser mal interpretados e denominados outras patologias. Por isso, consultar-se com um médico urologista é fundamental .

O exame de toque retal não é necessário se eu fizer o exame de PSA.

Mito! O exame de PSA, realizado via coleta sanguínea, não substitui o exame de toque retal. É possível que o câncer de próstata não seja detectado pelo exame de PSA.

O exame de toque retal é dolorido e demorado.

Mito! Esse exame é indolor, leva poucos segundos e não representa risco algum para sua identidade de gênero. Afinal, preconceito com exame de toque retal está fora de moda, não é mesmo?

Mesmo sem histórico familiar da doença e sem fatores de risco, preciso realizar os exames todo ano.

Verdade! Homens sem histórico familiar de câncer de próstata e sem fatores de risco, como obesidade e idade superior a 50 anos, podem ainda assim desenvolver uma doença.